O líder e o intraempreendedor

Cavicchioli Treinamentos - Artigos, Liderança

Para aqueles profissionais que gostam de leituras a respeito do trabalho rea- lizado pelos administradores de empresas, o assunto “liderança” desperta sempre grande interesse.

Abordar esse tema é quase “chover no molhado”. Ralph M. Stogdill, da Ohio State University, um dos maiores pesquisadores sobre a liderança do século XX, expressando a diversidade do tópico, disse certa vez: “Existem quase tantas de- finições de liderança quanto o número de pessoas que tentaram definir o conceito”.

Nunca, em todo o mundo, as organizações precisaram mudar continuamente e adaptar-se em resposta a ambientes turbulentos. E atrelada às necessidades de enfrentamento da mudança, vem a função do líder: com suas visões, habilidades de inspirar confiança e influenciar pessoas na direção de objetivos comuns.
Definições à parte, considero atualmente que um dos maiores desafios dos líderes nas organizações é despertar nas pessoas suas potencialidades, suas moti- vações intrínsecas, ambições, equilibrando aspectos racionais e emocionais, dentro, evidentemente, de padrões éticos.

Cabe ao líder, no cotidiano de suas atribuições, desenvolver o intraem- preendedorismo, tradução de intrapreneuring, ”empreendedor interno”, que nada mais é do que a capacidade de as pessoas ficarem tão motivadas e enga- jadas nas causas da empresa que se sintam como donas do negócio e, de maneira empática, colocam-se naturalmente na “pele do dono”, assumindo as responsabi- lidades pelo que realizam: inovações, invenções, geração de ideias.

O intraempreendedor é aquele que, a partir de uma ideia, e recebendo de seus líderes apoio, recursos e incentivos da empresa na qual trabalha, dedica-se entusiasticamente a transformá-la em produto ou serviço bem-sucedido.
A liderança intraempreendedora é muito diferente da gerência, pois reco- nhece nos intraempreendedores a profusão de oportunidades criativas, dando- lhes incentivos e liberdade para implantar mudanças, considerando o ambiente de trabalho e o grau individual de maturidade.
O líder intraempreendedor dedica atenção frequente àqueles que ocupam po- sições mais abaixo na hierarquia, que não se sentem bem somente com o status quo e demonstram prontidão em melhorar procedimentos custosos ou inadequa- dos.
O intraempreendedor é movido pela necessidade de realizar algo que tenha significado e provar seu próprio valor; portanto, direcionar, treinar, acompanhar e delegar atividades requer do líder conhecimentos técnicos e comportamentais aguçados e um estilo de liderança adaptável às diferentes demandas.
Nem sempre o intraempreendedor tem habilidades básicas bem desenvolvi- das, como boa comunicação, bom relacionamento interpessoal e planejamento. É papel do líder ser seu grande facilitador, potencializando suas capacidades e transformando tais habilidades em competências, com vantagens para todos na organização.

Gilberto Cavicchioli
é professor da pós-graduação em Liderança de Equipes
e Gestão de Projetos da ESPM